Benedita Feijó fala da sua parceria com a Virgu nas novas capas para iPhone

Benedita Feijó é uma das principais designers gráficas portuguesas, com vários prémios ganhos no estrangeiro e trabalhos para marcas como a TAP, a Compal, o El Corte Inglês e a Absolut Vodka. A sua “liberdade criativa” flui agora também nas capas para iPhone da VirguCase, depois de ter ilustrado revistas como a Lab Magazine inglesa e a brasileira Bossa.

É, no âmbito desta parceria com a Virgu, que surge esta entrevista, onde Benedita Feijó fala do seu olhar “único” e “diferente” que se metamorfoseia em objectos exclusivos e originais.

virgucase_by_beneditafeijo

Como é que surgiu esta parceria com a Virgu para desenhar as capas para iPhone da nova colecção?

Benedita Feijó – O Artur Azevedo da Virgu fez-me a proposta para desenhar capas para o iPhone e assim foi. Já há muitos anos que tentamos fazer algo do género e só agora foi possível e viável pôr em prática a ideia.

Em que é que se diferencia o processo de criação de capas para iPhone de outros trabalhos seus, como por exemplo, a ilustração de revistas nacionais e internacionais que tem feito?

Benedita Feijó – É diferente, pois é algo mais pessoal e mais direccionado a um produto único, exclusivo. Quando as ilustrações são editoriais, normalmente ilustram um texto, artigo ou crónica, são menos livres. Nos produtos posso dar mais liberdade criativa à ilustração, sem tantas limitações.

Como é trabalhar com uma empresa da dimensão da Virgu, em comparação com a abordagem das grandes marcas para quem trabalhou, como são os casos da TAP, da Compal, do El Corte Inglês e da Absolut Vodka?

Benedita Feijó – É igual. São todos clientes ou parceiros. A única diferença é que estamos a trabalhar produtos e não campanhas ou publicidade.

Disse numa entrevista, há um bom par de anos, que numa entrevista de emprego o entrevistador lhe disse “Nós somos um Fiat e tu és um Ferrari!”. Ainda se sente um Ferrari entre Fiats no mercado português do design e da ilustração?  

Benedita Feijó – [Sorriso] Eu nunca me senti um Ferrari. Quem o disse foi o entrevistador da agência para a qual eu estava a ser entrevistada para uma vaga disponível. Não me sinto, nem nunca senti nada superior aos outros. Sei que faço diferente, faço único e muito próprio.

Que novos projectos tem em andamento ou em perspectiva?

Benedita Feijó – Têxteis. É no que ando a trabalhar. Vestuário e lar.

VirguCase_by_beneditafeijo_arrabida

Ver a coleção em www.virgucase.com

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.